Moradores ficam mais de três dias sem água em Manaus


Moradores de dezesseis bairros e conjuntos residenciais sofrem com a falta de água desde a última sexta-feira (27) em Manaus. Os bairros atingidos pela ausência de abastecimento estão localizados na zona Norte e Leste da capital. A maioria dos moradores dependem exclusivamente de poços artesianos para ter acesso a água potável.

Os bairros Braga Mendes, Vila Nova I e II, Gustavo Nascimento, Bem Hur, Bairro Novo, Monte Sião, Parte da Cidade de Deus e Fazendinha estão entre as áreas atingidas. Os bairros Alfredo Nascimento I, parte do Alfredo Nascimento II, Núcleo 23 do Mutirão, Vila Rica, Conjunto Amadeu Botelho, Hiléia e Campos Elíseos também esperam pela normalização do abastecimento.

A concessionária Águas do Amazonas informou, em nota, que a falha ocorreu devido a um trabalho de manutenção elétrica emergencial no Reservatório da Cidade Nova. Segundo a empresa, o procedimento foi feito para trocar o disjuntor do quadro das bombas que distribui água para o reservatório do Núcleo 23 do bairro Cidade de Deus e Mutirão.

A troca do equipamento começou às 10h de sexta-feira (27) e terminou somente às 17h45 de domingo. Em razão do tempo de serviço, as bombas que distribuem a água ficaram desligadas. Segundo a concessionária, a paralisação ocasionou a falha no abastecimento nas localidades.

De acordo com a empresa Águas do Amazonas, as famílias atingidas devem ficar sem os serviços básicos de abastecimento de água até o meio dia de amanhã (31). A Agência Reguladora dos Serviços Públicos do Amazonas (Arsam), informou que a empresa será advertida e multada caso não cumpra o prazo de normalização do serviço no prazo informado.

Alternativa

A principal reclamação dos moradores das zonas Norte e Leste de Manaus também está relacionada a ausência de caminhões-pipa para auxiliar o abastecimento de água nas residências. De acordo com matéria publicada em julho deste ano no Portal Amazônia, denúncias encaminhadas à ouvidoria da Câmara Municipal de Manaus (CMM) dão conta de que os veículos deixaram de fazer o abastecimento nas áreas onde há falta d'água constante.

Na ocasião, o diretor da Arsam, Fábio Alho, afirmou que o abastecimento de água realizado através dos carros-pipa é uma exceção ao atendimento da concessionária do serviço. Segundo ele, os bairros de Manaus contam apenas com o serviço de três caminhões-pipa que atuam em situação de emergência.

Em nota, a Águas do Amazonas informou que o serviço de carro-pipa é disponibilizado apenas para creches, escolas e hospitais em áreas onde o abastecimento de água ainda não ocorre de forma regular. Os carros-pipa também são utilizados quando o fornecimento de água é interrompido para a realização de algum serviço.

Reclamações

O número de reclamações registradas pela Arsam contra a concessionária Águas do Amazonas, até julho de 2010, foi de 1.050 ocorrências. O número corresponde a mais da metade do total de 2009 quando foram registradas 1.344 ocorrências, entre reclamações, sugestões e denúncias contra a concessionária.

De acordo com a diretora da Ouvidora da Arsam, Gerascid Castelo Branco, o número é recorde para o período. Segundo ela, 50% das reclamações são motivadas por cobrança indevida de consumo e taxa de esgoto, além de má qualidade de atendimento. Vazamento de tubulação e demora nos serviços de reparos e ligação de tubos, também estão entre as principais reclamações.

Os bairros Cidade de Deus, Nova Floresta, Tancredo Neves e Jorge Teixeira, todos localizados na zona Leste de Manaus, lideram os índices de reclamações. Já na zona Norte, segundo maior percentual de reclamação, os bairros Novo Israel e Beija Flor são os que mais sofrem com a falta de água.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Manacapuru: Prefeito Tororó está entre os 100 melhores prefeitos do Brasil; aponta pesquisa

UNIVERSO DA BELEZA: Vagas abertas para o curso de designer de sobrancelhas

Homem é morto com 16 facadas dentro da quitinete onde morava, Zona Oeste de Manaus